Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Up

Danuza Leão

Ex-colunista da Folha, Danuza Leão já lançou diversas obras, entre elas sua biografia. Embora a socialite tenha caído nas graças do público por livros deliciosamente bem escritos, também sofreu acusações por opiniões duvidosas. Confira algumas frases e tire suas próprias conclusões.

26/07/1933
... continue lendo

Livros

Danuza Leão

Lançamentos de livros têm tudo a ver com missas de sétimo dia. O fundamental é o acontecimento ser um sucesso. O livro não tem a menor importância.

Morte

Danuza Leão

Meu pai deixou muitas cartas; numa delas, dizia que havia escolhido morrer no dia 12 de fevereiro, folga da empregada. Mas, como não tinha conseguido finalizar certos papéis – ele deixou os documentos em absoluta ordem -, fora obrigado a adiar sua morte para uma semana depois (sempre na folga da empregada).

 

Luxo

Danuza Leão

Tem coisa melhor do que encontrar uma bolsa linda, numa butique desconhecida, que ninguém vai saber se é da C&A ou da Hermès?

Literatura

Danuza Leão

Aos sete anos aprendi a ler e ganhei a coleção de Monteiro Lobato. Devo ter lido cada livro umas cinquenta vezes – eram os únicos que tinha -, mas nunca me passou pela cabeça morar ou passar as férias no Sítio do Pica-Pau Amarelo. Nunca sonhei em ter uma avó como Dona Benta ou uma Tia Nastácia por perto. Achava Narizinho meio chata, Pedrinho mais ainda, e mesmo a Emília, para mim, era um pouco infantil; só via graça no Visconde. Meu sonho era ter o Tesouro da Juventude, só que isso jamais aconteceu. Um dia, muito mais tarde, li Balzac, depois Eça de Queirós, por quem sou apaixonada, e Nelson Rodrigues; não sou do ramo, mas acho que os três têm muito em comum. Eu leio e releio Eça, e não me canso nunca. Seus personagens são reais: românticos, cínicos, sutis, superficiais, finíssimos, profundos, e alguns não têm o menor caráter.

Moda?

Danuza Leão

Elogiei a linda cruz que ele carregava no peito, e a sua resposta foi um primor de elegância, e talvez – talvez – de vaidade. D. Lucas abriu um grande sorriso e respondeu: Comprei em Paris. Adorei saber que cardeais também podem ser ligados em moda.

Idade

Danuza Leão

A idade de ouro das mulheres, nos dias de hoje, é entre 45 e 55. É quando ela pode desfrutar da vida com maturidade e liberdade, sem querer o impossível.

Inveja

Danuza Leão

Vou confessar: às vezes tenho inveja das muçulmanas. Não fazem ginástica, podem comer o que quiserem e não estão nem aí para os pneuzinhos laterais. Que vontade de usar uma burca.

Dia da Mulher

Danuza Leão

O dia da mulher – e só o dela – deveria ter quatro horas a mais, para dar tempo de ler os jornais, os emails, fazer esteira, caminhar, arrumar o cabelo, a maquiagem, tuitar, conversar com os filhos, fazer charme pro namorado ou marido e até mesmo trabalhar. Que mundo injusto.

Casamento

Danuza Leão, sobre o primeiro marido

Samuel foi o único homem que nunca tentou me modificar. Ao contrário: ele me estimulava a ser cada vez mais eu mesma, a me soltar, a desenvolver minha personalidade. Extremamente inteligente e vivido, achava que essa era a estratégia certa para conservar um casamento. Costuma ser, só que não foi.

Religião

Danuza Leão

Tive uma educação religiosa: fiz primeira comunhão, confessava todo o sábado e vigiava meus pensamentos para não pecar antes da comunhão. Morria de medo que a hóstia batesse no meu dente e saísse sangue.

Infância

Danuza Leão

Quem pensa que uma infância feliz é aquela que segue os moldes tradicionais está enganado. Essas coisas de pai e mãe que conversam, perguntam pelas notas do colégio, contam histórias, dão beijos, fazem carinho e dizem que os filhos são lindos e inteligentes, tudo isso deve ser muito bom – ouço falar, mas desconheço. E, como desconheço, nunca me fez falta. Puxando pela memória, não me lembro de algum dia ter recebido um beijo de minha mãe ou do meu pai. Não que eles não gostassem de mim; eram desse jeito.

Maternidade

Danuza Leão

O sofrimento nos modifica, e sei que mudei; em alguns aspectos para melhor, em outros para pior. Gostaria de ter sido uma mãe melhor, mas acho que essa é uma questão de todas as mães, elas nunca se julgam perfeitas.