Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Up

Siga-nos

Paula Lavigne

“Existe uma seleção natural em torno de mim. Não vou dizer aqui que sou uma fofura”. A partir dessa afirmação da própria Paula, podemos ver e entender o que nos reserva suas frases.

31/03/1969
continue lendo
Compartilhar

Desvantagem Feminina

Paula Lavigne

A gente está em desvantagem, sempre, em todas as áreas. A mulher já nasce em desvantagem, das coisas mais bobas às mais peculiares. Se eu viajo por quatro dias, não posso levar um só par de roupas. Vão falar que apareço com uma roupa só e não tomo banho. Tudo é mais difícil por ser mulher. Daí queremos nos impor mais. Por isso surgem muitas “Paulas Lavignes” por aí, essas malucas cheias de progesterona (risos).

Esclarecida

Paula Lavigne

Sou filha da geração dos anos 70. Minha geração pegou as coisas mais alertadas. Fui criada por um pai advogado criminalista e por uma mãe psicóloga. Se eu não fosse uma pessoa esclarecida, não sei como seria.

Sobre Caetano

Paula Lavigne

Nada é fácil quando se está com Caetano (risos). Mas a gente aprende a administrar. Nada é fácil no sentido de barato, de susto. Ele é intenso, tem toda uma profundidade no que se refere a ele. É uma pessoa muito verdadeira. Se muda algo na cabeça dele, ele fala, se sente livre para falar o que pensa, é de uma liberdade incrível.

Inquietude

Paula Lavigne

Acordo cedo, tipo 8h da manhã, e vou logo malhar. Para gastar energia e meus filhos poderem me aturar. Tenho insônia. Tenho que me drogar para dormir. Tomo Frontal (remédio de uso controlado) toda noite. Vou para cama pensando em mil coisas, vou, vou... É uma inquietude, é, tenho inquietude.

Mandar Bem

Paula Lavigne

A coisa mais parecida que existe com cinema é exército. Tem que ter hierarquia. Só funciona com uma voz forte de comando. Nem todo mundo aguenta a pressão. Existe uma seleção natural em torno de mim. Exército é fácil? Não, tem muita gente que não suporta aquilo. E tem gente que faz carreira.

Hormônios

Paula Lavigne

Fiz um implante de hormônios. Mudou a minha vida! Eu cheguei num ponto em que eu me estressava tanto que ia parar no psiquiatra, tomava todos os remédios tarja preta que você pode imaginar: antidepressivo, up, down, bipolar… O dia que eu botei esse implante, acabou. Não é que você não menstrua. Você nem sequer ovula. É uma dose de homem em você.

Implante de Hormônios

Paula Lavigne

Eu vivia babando por causa de Frontal para não agredir ninguém. Parei tudo. A única contraindicação do implante é que, depois de uma certa idade, você pode não voltar a ovular. Eu já tenho os meus três filhos. Está tudo certo.

 

Ser Mulher

Paula Lavigne

Eu odeio ser mulher. O mundo é dos homens. Tudo é para os homens. Quais os maiores problemas do homem? Calvície e ereção. Já tem remédio para os dois.

Saúde do Corpo

Paula Lavigne

Depois que tive filho. Me lembro que voltei da maternidade e o Caetano falou: “Ihhhh! Essa barriga não tem jeito não. Mulher quando tem filho fica barriguda para o resto da vida.” Pensei: “O quê? Tenho 21 anos. Vou malhar.” Foi a melhor coisa que eu fiz. A endorfina é a mais poderosa droga do mundo.

Business Brasileiro

Paula Lavigne

Eu pago pau para o Criolo e o Emicida. Eu venho de outro mundo. Caetano é da mesma gravadora há 50 anos. Eu sou totalmente mainstream. Mas me interesso pelo novo. Acho que eles é que vão fazer história no show business brasileiro.

Separação

Paula Lavigne

A separação foi difícil e continua sendo. Foi a pior coisa que já enfrentei na vida. Mas fazer o quê? Tinha que ser. Mas se nós não continuássemos trabalhando juntos seria pior. Minha prioridade profissional é o Caetano. Todo mundo que trabalha comigo sabe: eu largo tudo. Caetano é tudo para mim. É o pai dos meus filhos e a pessoa que me fez sobreviver.

Carreira

Paula Lavigne

Cinema é brincadeirinha de gente grande. Vim de um mundo saudável dos anos 80 com a indústria fonográfica. Digamos que foi um “background”. Sou viciada em grandes negócios, é do meu temperamento. Deixei de ser atriz, porque não achava que era boa naquilo, não tinha uma carreira de sucesso. Comecei a encarar outra coisa e ter sucesso nisso. Sou uma boa profissional, hoje penso que sim.

Mulheres

Paula Lavigne

O mundo é dos homens, isso eu vejo claramente. A primeira mulher a ganhar o Oscar de direção só veio agora em 2010 (Kathryn Bigelow, com “Guerra ao Terror”). O mundo é dos homens. Na China, as famílias pedem desculpa quando nasce filha mulher. Temos duas candidatas mulheres para a eleição presidencial, isso é fantástico. Mas não acho que a discussão está definida para este lado, homem ou mulher. É mais uma questão PT e PSDB. Apesar de eu votar na Marina (Silva), do PV.

Legalização das Drogas

Paula Lavigne

Acho que, legalizando tudo, vai gerar mais dinheiro com impostos. Daí investe em campanhas e tratamentos, conscientização das pessoas... A gente toma muita droga, o tempo todo, sem se dar conta disso. Eu tomava desde pequena Ritalina (remédio utilizado para jovens com déficit de atenção), porque era uma criança muito ativa. É uma anfetamina! São drogas vendidas na farmácia, prescritas por um médico.

Contato com as Drogas

Paula Lavigne

Claro que o crack mata. Se você fumar maconha, vai ter afetação no cérebro. Se cheirar cocaína, vai ser um chato... Tem que ser na base da conversa. Por isso que converso com meus filhos, sobretudo agora que estão adolescentes. É uma preocupação muito grande. Ele levou um susto com o mundo das drogas. É claro que eu preferia que ele estivesse estudando na escola a ação das drogas no organismo.

Filmes Preferidos

Paula Lavigne

Tive a sorte de estar casada com Caetano, ele me mostrou um pouco de tudo, muito cinema nacional, artes em geral... Brinco dizendo que fugi da escola, mas casei com Caetano (risos). “Matou a Família e Foi ao Cinema”, “O Bicho de Sete Cabeças”... Um meu, o “Meu Tio Matou Um Cara”, adorei ter feito esse. Tem o “Onde Fica a Casa do Meu Amigo” (do diretor iraniano Abbas Kiarostami), adoro... E “Chuva de Verão”, do Cacá Diegues. Pronto!

Produção

Paula Lavigne

Na produção, você não é o artista. Você está ali para fazer a coisa acontecer, mas é substituível. A lição básica de produção, para mim, é: você tem que ser melhor do que todo mundo. Por isso sou exigente. E o pior de tudo dessa posição é que eu sou mulher. Mulher é refém dos hormônios. Na verdade eu não tenho mais esse problema.

Mandona

Paula Lavigne

Eu sou mandona. A sorte é eu ter canalizado a minha personalidade para a produção, em que você tem que mandar. Meus apelidos são “general”, “chefe”, “sinhá”… “Sinhá” eu adoro. Mas eu mando bem ou isso se reverteria contra mim.

Aborto

Paula Lavigne

Aborto no Brasil não ser legalizado é um crime. Eu teria estragado a minha vida, a minha relação com o Caetano se eu tivesse tido um filho com 16 anos. Não tenho a menor culpa.

Mercado Independente

Paula Lavigne

Estou muito interessada no mercado independente. O mercado formal não existe mais. Tenho a sorte de viver esse momento de transição relativamente nova, com 43 anos. E ainda ter energia para acompanhar o que vai acontecer. Essa turma de São Paulo é séria e me interessa. Estou perto deles para estudar.

Ser Útil

Paula Lavigne

Outro dia eu estava me perguntando: “Será que a coisa que eu mais gosto na vida é trabalhar?” Talvez. Tenho que me sentir útil. Trabalhando eu me sinto útil.

fechar