Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Up

Juliano Cazarré

Considerado uma revelação por muitos. Juliano Cazarré além de atuar, também escreve. Conheça o pensamento deste ator que vem se destacando cada vez mais na televisão brasileira.

24/09/1980
... continue lendo

Aprendizados

Juliano Cazarré

O ator sempre aprende acessar esses lugares. A buscar isso. Eu já dancei até o chão na adolescência e milhares de vezes na minha vida. A gente vai ficando velho, vai ficando besta, vai ficando sério. Mas, isso tudo está dentro de mim. Estou só resgatando e me dando a liberdade de fazer isso.

Sem frescura

Juliano Cazarré

Sou um ator que gosta de trabalhar com drama e bastante com comédia. Não tem nenhum que eu prefiro mais. São desafios diferentes. Eu sinto que a comédia é mais difícil de fazer. Na comédia tem que ser engraçado. Simplificando, eu amo atuar. Independente de gênero.

Bem humorado

Juliano Cazarré

Eu sou um cara que gosto de fazer piada com os meus amigos, embora eu seja um cara bem sério. Sou bem humorado. Sou gaúcho, né? O humor do gaúcho é meio ácido. O meu humor é sempre mais para o lado irônico

Poesia

Juliano Cazarré

Acho que a poesia faz mais ou menos a mesma coisa que a antropologia faz, que é pegar uma coisa estranha e “familiarizar” essa coisa; ou pegar uma coisa familiar e “estranhar” essa coisa. Acho que meu livro vai neste sentido, de pegar uma coisa familiar a todo mundo, que é a janela, e “estranhar”, tentar olhar por outros ângulos, por outras perspectivas. E ampliar também o conceito de janela. No livro tem uma série de janelas orgânicas, do corpo. O livro fala do olho, do pênis, do ânus, a janelinha do dente de uma criança banguela – tem essa série dentro do livro, que eu chamo de “orgânicas”.

Funk e a comunidade

Juliano Cazarré

É uma relação de respeito total. Mesmo não morando em comunidade. Eu respeito essa galera que vive lá. O funk é uma música que não toca no meu carro, mas sim quando eu estou na rua em uma festa e tal. Sempre acho gostoso de dançar esse ritmo. Eu tenho o maior respeito pelo funk, assim como tenho o maior respeito pelas comunidades. Tenho certeza que os funkeiros são a realidade cultural do Rio de Janeiro.

 

Pelas Janelas

Juliano Cazarré

Escrevi entre 2008 e 2009, quando eu morava em São Paulo. Eu continuo rabiscando, mas não tenho tido tempo de escrever muito, por causa da novela, no meio desse turbilhão todo – ainda mais agora no final... Tenho umas outras ideias para livro também, de poesia, que vão caminhando em paralelo, mas não tenho conseguido escrever muito.

Papel do poeta

Juliano Cazarré

O poeta – e o Quintana fazia isso muito bem – pega uma coisa que estava ali, na frente de todo mundo, mas em que ninguém tinha reparado ainda. Acho que eu tento isso também, um pouco. Tanto que o meu livro é sobre janelas, né? Um objeto que está na vida de todo mundo, mas eu tento lançar um olhar diferente sobre aquilo.

Cenas difíceis

Juliano Cazarré

Não é fácil fazer uma cena que pede ereção. Fiquei constrangido.Não sou ator pornô, não vou penetrar ninguém, por mais que as pessoas que assistem acreditem nisso.

(Sobre o filme Boi Neon).

Parcerias

Juliano Cazarré

Eu gosto de repetir parcerias. Assim como eu gosto de trabalhar com gente nova. A graça de repetir uma parceria é justamente porque aprofunda mais a relação.

Relação com o esporte

Juliano Cazarré

Minha relação com o esporte não é uma busca para ter o corpo perfeito. E sim para me sentir bem. Eu amo fazer esporte! Pra mim, a melhor hora do meu dia é quando eu estou correndo, surfando e fazendo exercícios. É uma coisa que faço questão de fazer. Me faz bem.