Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Up

Mensagens Cheias de Saudade

Se você sente saudades o tempo todo de alguém, saudades da risada de alguém, de conversar, de sonhar e de tê-lo em seus braços, diga isso da melhor forma possível. Exponha os seus sentimentos e deixe que o destino una vocês mais uma vez!

... continue lendo

Eu quero sentir saudades

Bruno Érnica

Eu quero sentir saudades.

Quero sentir falta do abraço quente no inverno, antes de dormir, ao acordar, ao rever, ao encontrar.
Quero desejar loucamente te ver todos os dias, em dias espaçados, só aos finais de semana ou daqui a um mês.
Quero notar a sua ausência, a bagunça que você deixa pela sala e os fios de cabelo espalhados pelo chão claro do banheiro.
Quero perceber que você não fala comigo por mais de dez minutos, dez horas ou dez dias.
Quero me dar conta que não fazemos mais coisas triviais, como assistir séries, comer Miojo ou pegar no sono no sofá.
Quero sentir que falta algo, que falta carinho, que falta amor, que falta beijo, que falta afago, que falta sexo, que falta.
Você não deixa faltar nada. Não há tempo para perceber o que poderia ser melhor ou pior, o que poderia mudar ou permanecer. Não existe saudade onde há excesso.

Que falta que faz a falta.

Sobras

Bruno Érnica

Não sei de onde vem, mas chega se espreitando pelas beiradas. Aos poucos vai comendo as bordas, mesmo que estejam quentes, e que se dane a língua. É melhor queimá-la do que congelá-la.
E a fogo vai se consumindo, vai me consumindo, vai nos consumindo, até que não sobra mais nada no prato.

Não sobra nada visível. São apenas sobras.
Sobras de saudade.

Pela legitimação da saudade

Bruno Érnica

De agora em diante, fica estabelecido que a saudade não será mais sentida em vão, anunciada sem motivo autêntico e ocupada por quem não sente nada. A partir de hoje ela deixará de ser banalizada.
Esqueçam todas as cartas enviadas no século passado, todos os e-mails enviados na última década e todas as mensagens no whatsapp que citem a referida palavra. Deixem de lado todos os reencontros com amigos, parentes e amores. Parem e pensem na saudade. Pensem em seu estado, como se fosse sólida e tentem alcançá-la. Esmiúcem, desdobrem e amassem. Permitam que a saudade corroa a sua mente, destrua o seu peito e alague seus olhos.
E, quando não restar mais nada, a saudade ressurgirá como um sentimento imaculado. Ouse apreciá-la. Sinta a emoção bater em seu rosto e apertar no centro do peito, até o coração bombear o sangue com força, como quem expressa que a falta é real. E será. A saudade deixará a superficialidade para se tornar profunda, para fazer parte do âmago, para ser só sua.

Pluma

Bruno Érnica

Me deixei levar
por colchões e travesseiros
por pontos e ponteiros
e deixei de estar
comigo.

Me quero de volta.
Ah, que saudade de mim.

Amor clichê

Bruno Érnica

Não quero me espelhar em um grande sucesso hollywoodiano. Não ligo em não receber a todo o momento uma mensagem de “saudades”, desde que ela exista de alguma forma em ti. As vezes você não precisa me contar o que está sentindo, que gostaria de estar perto ou que me ama muito. Não precisa dizer essas coisas sempre, mesmo. Prefiro que você venha me ver e matar a bendita saudade, ficar perto por poucas horas e emanar todo esse amor que está aí dentro. As palavras são fortes e tem poder, de fato, mas nada substitui um ato de afeto.

Sei que não posso dormir com você todos os dias, que não vamos nos casar amanhã e muito menos que teremos uma festa de casamento digna de dar inveja em tias encalhadas. Nosso relacionamento não é um desenho da Disney, embora seja cheio de vilões que insistem em tentar acabar com o nosso sentimento. Não durmo com você diariamente, mas garanto a melhor conchinha do mundo quando isso acontece. Ainda não sei se vamos nos casar, ainda temos muito chão antes de decidir. Nunca pensei se quero uma festa para duzentos convidados, um jantar para nossos familiares ou só um “eu aceito” entre a gente. Quanto aos vilões, eles vão continuar existindo, seja na cidade de Townville ou aqui na rua de casa.

Que a gente vivesse junto

Bruno Érnica

Ó, não sei bem por onde começar, mas acho que a gente devia viver junto. É, junto, do tipo pra sempre, sabe? Por que isso agora? Ah, acho que a gente junto dá mais certo do que separado. Junto não tem essa de horário pra chegar. A hora que chego é quando abro os olhos pela manhã e já tô do seu lado, e a maior distância entre a gente não é um ônibus e um metrô, é um abraço. Se a gente vivesse uma só vida, você não me ligaria pra perguntar se vou almoçar com você ou não, pois provavelmente já estaríamos indo juntos ao mercado comprar macarrão e queijo gorgonzola pra fazer o meu prato de praxe. Se a gente já estivesse pra sempre num mesmo lugar, não ia ter essa de ficar pensando em programação pra ocupar o tempo. Se quiséssemos ver um filme no computador deitados na cama, ir ao cinema, dar uma volta na Augusta ou tirar um daqueles cochilos no meio da tarde (que eu odeio), bastaria fazer. Se eu e você fossemos a gente, a expectativa do fim de semana se transformaria na do fim do dia, enquanto um espera o outro chegar do trabalho para ter um daqueles momentos que só precisam acabar com o amanhã. Se a nossa rotina fosse somente uma, não ia ter problema de você ficar na sala jogando videogame enquanto escrevo esse texto, porque teríamos tantos momentos a dois que ser um só por um momento valeria o esforço. Eu queria que a gente vivesse junto para encurtar a saudade, aumentar os momentos, reduzir a separação, prolongar o amor e não para sermos um só, porque já somos.

Forasteiro

Bruno Érnica

Você não ia ficar e eu soube desde o começo. Esses inúmeros presentes sem motivo, repletos de significados e histórias, feitos a mão ou selecionados a dedo não poderiam ter sido pensados por uma pessoa que quer estar ao meu lado até o fim da vida. Pessoas que desejam ficar para sempre não dão presentes, elas se tornam presentes. Você sempre esteve aqui, mas só quando sentiu que precisava, não porque realmente se importava. Ok, você tinha o poder de transformar o meu entorno em algo inusitado, com surpresas na madrugada, viagens de supetão e passeios a lugares que sequer imaginei existir. Toda intensidade tem um preço e o que você deixou foi uma dívida bem grande com a saudade. Eu sei que você não vai voltar e eu senti isso desde o começo.

Adeus, forasteiro...

Não parta de bolsos vazios

Bruno Érnica

Ele se foi, e como quem parte, não leva nada, a não ser as saudades de quem fica.

Quando alguém vai embora para sempre, você não sabe muito bem o que ela gostaria de levar. A morte não é assunto recorrente e quando ela chega não deixa escolhas, a não ser as dos que ainda estão vivos. Tive que escolher o que Ele iria vestir, sozinho, sem o próprio em corpo ou alma para me ajudar. Não escolhi um terno preto, gravata lilás ou um clichê bem bonito. Peguei uma roupa colorida, pois queria que Ele se sentisse um pouco radiante de onde quer que estivesse se vendo. Escolhi uma polo azul piscina, uma calça preta e sapatos sociais.
Quando alguém parte da matéria, você não sabe qual parte dela a pessoa gostaria de levar. Ele passou a vida carregando coisas nos bolsos, por que ir embora com eles vazios? Não podia deixá-lo com os documentos ou as chaves de casa, já sabia que ele não iria voltar. Então deixei algo meu, uma pulseira que no sol se transforma em um prisma com cores do espectro (ou pequenos arco-íris). Se o mundo estiver certo, no céu há muita luz e não haverá um dia onde o prisma não brilhe.
Não sei se Ele gostou das roupas ou da pulseira, mas acho que de alguma forma ficou contente por eu não ter deixado que ele partisse de bolsos vazios e com qualquer roupa.
Seja qual tenha sido o lugar onde Ele chegou, com certeza causou uma boa impressão.

Pessoas de enfeite

Bruno Érnica

Não mantenha alguém na sua vida se for para ser de enfeite.

Talvez o seu ego esteja enfraquecido e você goste de dizer por aí que tem muitos amigos, mas deixar uma pessoa em “stand by” não faz dela um ser próximo. Entendo que muitas vezes não temos tempo nem para nós mesmo, imagine para os outros. Mas também entendo quando uma pessoa é deixada de lado e só é contatada em casos de emergência, ou seja, quando nenhum amigo mais interessante está disponível e a carência não pode esperar, não é amizade, é interesse. Não somos bibelôs para sermos deixados em um canto qualquer apenas para enfeitar. Pessoas não são adereços. Se um amigo, colega, chegado ou conhecido não é importante para você, deixe-o ir. Pare de puxar papo para que não se esqueçam de você. Pare de dizer que está com saudades. Pare de alimentar os sentimentos dizendo que sente uma falsa falta. Seja feliz com quem está ao seu lado e contente-se em ficar só as vezes. Antes de abastecer a sua vida com pessoas, abasteça a sua vida consigo mesmo. Se você não é uma boa companhia para si, jamais será uma boa companhia para os outros.

Meus pêsames

Bruno Érnica

Nunca diga “meus pêsames”. Não diga que está triste por alguém que se foi, sendo que não está realmente. Se a pessoa representou pouco ou quase nada para você, oferecer condolências é hipocrisia, e não existe nada mais hipócrita do que a morte, que finge estar longe só para te levar a qualquer momento. Quando alguém parte para um outro plano, o plano de quem fica nesse é sofrer em um primeiro momento, sentir saudades no segundo e praticamente esquecer que a pessoa se foi na última etapa. O melhor a se fazer é trocar o seu falso pesar por algo que realmente tenha peso no momento, como um abraço, um ombro, ouvidos ou silêncio. Ofereça ajuda psicológica, mas nunca palavras que não fazem sentido para você. Quem perde alguém de verdade não vai querer meia dúzia de mentiras. Em vida, viva pelo o que você deve fazer, não dizer.