Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Up

Homem de verdade não bate em mulher

Venha conhecer mais sobre os direitos das mulheres e a respeito da Maria da Penha. Lute pelos seus direitos, não se cale!

... continue lendo

A cena se repete

Mas espera ai, eu disse “mais uma”? Não, não foi mais uma tentativa desta triste realidade. Maria da Penha mesmo após várias cirurgias fica paralítica, o que não impediu que seu marido ainda atentasse mais uma vez contra a sua vida, desta vez no banheiro tentando eletrocutá-la, contudo, a babá ouve os gritos de socorro e a salva.
Após longas tentativas e uma autorização judicial ela consegue deixar sua casa juntamente com suas 3 filhas. Mas você pensa que acabou por ai?! Não, essa história está apenas começando. Maria da Penha no ano seguinte começou uma longa batalha contra seu ex marido para provar que não somente ele a agredia corriqueiramente, como também tentou matá-la por diversas vezes.

Homem de verdade não bate em mulher

Infelizmente a violência doméstica é uma realidade no Brasil. Existem centenas de mulheres que sofrem com maus tratos e pior, sofrem caladas. Mulheres, que vivem com medo de baixo de seus próprios tetos e temem por si mesmo e por seus filhos.
Por esse motivo foi criada a Lei Maria da Penha, que defende os direitos das mulheres e dá voz àquelas que sofrem com os abusos. A campanha "Homem de verdade não bate em mulher" é uma iniciativa do Banco Mundial, que através dela procura fazer com que os homens se comovam e percebam que a Lei Maria da Penha não é uma lei contra eles e sim um incentivo, um refúgio à todas as mulheres, que antes sofriam caladas, mas que agora tem a justiça ao seu lado para que tomem coragem e enfrentem seus agressores.

Lei Maria da Penha

Maria da Penha é uma biofarmacêutica que ficou paraplégica ao levar um tiro de espingarda do marido enquanto dormia. Esse fato aconteceu em 1983 e como a justiça no Brasil é lenta, foi dado pouco valor ao ocorrido, o que fez com que o Brasil fosse condenado pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos, que acusou o país de não dar valor aos crimes de violência contra mulher. Por esse motivo, em 2006 foi criada a Lei Maria da Penha, que trata com mais seriedade e severidade de todos os crimes cometidos contra a mulher.

O acontecimento

Já deitada acorda com um tiro nas costas e imediatamente pensa: “meu marido me matou!” e logo desmaia. Após recobrar a consciência percebe que está rodeada de vizinhos que aguardavam assustados a chegada da ambulância. Seu marido na sala, de camisa rasgada e uma corda enrolada no pescoço. Neste momento todos acreditavam que a casa tinha sido invadida, só Maria sabia o que de fato tinha ocorrido – mais uma tentativa contra sua vida por parte do marido que não só batia nela como também nas crianças.

Dicas para se proteger!

Caso haja a possibilidade de algum ataque em casa, prepare-se com possíveis precauções para evitar maiores problemas.
Tais como:

- Combine com seus filhos um código, avisando que está na hora de pedir ajuda ou sair da casa
- Tenha sempre seu celular a mão e com números de emergência salvos, para caso seja necessário
- Mantenha seus documentos importantes como certidões, carteira de trabalho, números de telefone, documentos escolares e afins.
- Deixe as chaves do carro sempre por perto ou em locais mais acessíveis. Lembre-se de deixá-lo sempre abastecido e em posição prática, para evitar dificuldades na saída.

Dicas para se proteger caso seja atacada

Durante uma briga, você deve ter bastante cuidado para que as coisas não piorem.
Por isso lembre-se sempre de:
- Evitar ambientes como cozinha e banheiro: por às vezes serem apertados, e locais onde encontramos objetos perigosos.
- Nunca utilize de armas. Elas podem facilmente, voltar-se contra você!
- Não corra para o local onde estejam as crianças, elas podem serem agredidas também.
- Se a violência for inevitável, agache-se e proteja o rosto com os braços em volta da cabeça, um de cada lado, entrelaçando os dedos.

Dicas para saber como agira após um ataque

Após a briga, depois de um ataque, reaja da seguinte forma:
- Não fuja sem as crianças. Elas podem serem usadas como chantagem contra você, ou serem agredidas também.
- Procure alguma entidade onde possa pedir ajuda; seja ela uma delegacia da mulher, um centro de atendimento, alguém que seja confiável ou qualquer instituição que você conheça.
- Veja lugares próximos a sua casa onde você possa ficar, até encontrar ajuda: igreja, loja, escola, etc.
- Se estiver ferida, vá atrás de um médico ou hospital.
O mais importante, é sempre contar o ocorrido. Se ninguém souber, ninguém poderá te ajudar.