Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Up

Brasil nas Olimpíadas

Um resumo de toda a história do Brasil nos Jogos Olímpicos. É o MCA entrando no clima das Olimpíadas, que começam em breve. E o melhor de tudo: será aqui, na nossa terra. Venha saber mais sobre os brasileiros nesta competição.

... continue lendo

O Futebol nas Olimpíadas

O Brasil é pentacampeã mundial e por muitas vezes foi considerado o favorito ao primeiro lugar do pódio. Porém nunca conseguiu alcançar a posição. Em 1984 e nos jogos seguintes (em 1988), ficou em segundo lugar, conquistando a medalha de prata. Em 1996, uma medalha de bronze foi conquistada . Foram muitos os destaques nos jogos da seleção nas Olimpíadas como Taffarel, Bebeto, Romário, Ronaldo fenômeno, Rivaldo, Roberto Carlos entre muitos outros.

Honraria

O atleta brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima foi um dos raros atletas mundiais a receber o maior prêmio dado pelo Comitê Olímpico Internacional: A medalha Pierre de Coubertin. Essa medalha é concedida a atletas e pessoas que demonstram alto grau de esportividade e espírito olímpico durante os Jogos. O nome dado à medalha corresponde ao criador dos Jogos Olímpicos modernos, o Barão Pierre de Coubertin e só foi dada 9 vezes na história dos Jogos.
Vanderlei Cordeiro recebeu a medalha devido ao ocorrido nas Olimpíadas de Atenas em 2004, onde durante uma prova de atletismo que ocupava o primeiro lugar, foi impedido de concluir a prova sendo empurrado para fora da pista por um espectador que invadiu o local. Mesmo com o imprevisto, o atleta conseguiu chegar em 3° lugar, conquistando a medalha de bronze.

Maria Lenk

Maria foi a primeira mulher brasileira a participar de uma Olimpíada. Mais do que isso: foi a primeira atleta sul-americana na competição. Na ocasião, tinha apenas 17 anos e participou dos Jogos realizados em Los Angeles. Chegou às semi-finais da natação, na modalidade 200m peito. Nos jogos de 1936. Se destacou pelo seu estilo na hora de nadar: as pernas se movimentavam como no nado peito e mãos e braços se mexiam para fora d’água. Era o início do nado borboleta. Em 1939, Maria bateu recordes nos 200m e 400m nado peito e era uma das favoritas para as Olimpíadas do ano seguinte, adiada devido à Segunda Guerra Mundial.

João do Pulo

João Carlos de Oliveira foi um dos melhores atletas do salto brasileiro mesmo sem ter ganhado um ouro olímpico. oi um atleta que impulsionou a modalidade e serviu de exemplo para outros competidores brasileiros da modalidade. Era o favorito nas Olimpíadas de Montreal, mas sua marca foi superada pelo soviético Viktor Saneyev e pelo americano James Butts. Em Moscou, nos Jogos de 1980, protagonizou uma polêmica: 3 dos seus 6 saltos foram anulados pelos juízes e ele acabou ficando com a medalha de bronze por isso.

Gustavo Borges

Exemplo para uma linhagem de atletas olímpicos que hoje arrasam nas piscinas, Gustavo Borges deu as primeiras braçadas no interior de São Paulo, em Ituverava, cidade onde aprendeu a nadar. Nos Estados Unidos, onde se graduou em Economia, se tornou um atleta profissional. A primeira medalha, prata, viria em Barcelona. Mas foi em Atlanta que Gustavo se consagrou: além de uma medalha de prata e outra de bronze, dividiu o pódio com os brasileiros Fernando Scherer, Carlos Jayme e Eduardo Valério, com quem competiu o revezamento 4 x 100m livre.