Mensagens Com Amor Menu Search Close Angle Birthday Cake Asterisk Spotify Play PPS Book Download Heart Share Whatsapp Facebook Twitter Pinterest Instagram YouTube Up

Marla de Queiroz

"O melhor amor é o recíproco" é apenas um dos livros da escritora e jornalista Marla de Queiroz. Sempre com um sorriso no rosto e com muito amor no coração, Marla consegue conquistar com seus textos inspiradores.

28/12/1975
... continue lendo

Fonte de vida

Marla de Queiroz

Descobrir que somos a nossa fonte inesgotável de prazer e força, que o Outro é uma extensão escolhida para compartilhar isso, que somos O NOSSO LUGAR e que só entra em nosso TEMPLO quem permitimos, é saudável, empodera, nos responsabiliza pela nossa felicidade e clareia a visão de que TUDO É POSSÍVEL quando jogamos uma intenção justa e amorosa para o Universo. Que todo o tipo de ajuda está à nossa disposição. Que o melhor investimento que podemos fazer é o auto investimento. Que um ser pleno, não é um ser estagnado em sua evolução, mas alguém dinâmico, inacabado, em eterna construção, mas com todas as ferramentas INTERNAS necessárias para construir externamente seu Mundo particular de paz para, a partir dele, beneficiar o coletivo.

Espectadora

Marla de Queiroz

Quero ser espectadora dos meus extremos e direcionar o meu vulcão interno pra devastação de um lugar em que, depois da destruição, possa haver um vasto reflorestamento.

Meu lugar

Marla de Queiroz

Na busca incessante do meu EU, descobri: eu sempre estive comigo, tão dentro, eu precisava apenas não me rejeitar.

E quando eu percebi que apenas precisava deixar vir, eu descalcei meus pés, eu me despi da dor, eu resgatei em mim a inocência, o auto amor. E pude então sentir a flor dentro de mim: botão que se feria por não desabrochar. Plantei o meu lugar: e recebi com luz minha fonte inesgotável de força e criação, o sol interno e aceso tão prestes a pulsar. Dancei como criança, dancei como mulher, deixei que o FEMININO tomasse o meu corpo. E todas as sementes brotaram num sorriso, viraram gargalhadas, trouxeram pros meus membros fortes, leves, delicados movimentos: e como um Orixá, eu era a natureza, eu era extensão de toda a Beleza, eu era a mim mesma: EU SOU O MEU LUGAR.

Templo

Marla de Queiroz

Nosso corpo é o nosso TEMPLO. É ele quem nos leva para onde precisamos ir com o conteúdo que temos. A forma como “chegamos”, compromete absolutamente a receptividade que teremos. Encontrar o equilíbrio entre a arrogância e o medo é uma das artes mais complexas que conheço: muitos se projetam com tanta agressividade que assustam, outros se encolhem com tanta “humildade” (leia-se, subserviência) que parecem frágeis demais, logo, incapacitados.

Vivendo intensamente

Marla de Queiroz

Do que pôde ser visto, do que pôde ser tocado, do que pôde ser sentido, do que foi vivenciado, disto é feito a eternidade diária, a felicidade transitória, a tristeza passageira, o agora...
Mesmo quando o dia findo, a noite ida, a madrugada vindo, um recomeçar à espreita que, no fundo, é só continuação.
A narrativa pode ser refeita mesmo quando as palavras não.
Troque a disposição das tuas frases, descubra o sinônimo mais adequado, ponha força no pensamento que te representa e beneficia...
Experimente com inteireza cada estação do ano até que se possa estar cada vez mais presente em cada estação do dia.
Seja tão você até que ser tão feliz seja uma coisa só.

Comprometimento

Marla de Queiroz

Quando você se compromete com o seu melhoramento, tem que renunciar a muitas coisas da sua rotina, do seu comportamento emocional. As mudanças poderão até ser dolorosas, mas jamais estéreis, porque são inevitáveis e só têm princípio. É preciso muita coragem pra caminhar por uma paisagem nova e desconhecida, mas a vida pede de nós flexibilidade e perdão para que o amor se instale com conforto na nossa alma. Sejam gentis com vocês, com os outros. E tenham muita consciência do potencial que ainda não foi desenvolvido. Estamos aqui para que o Universo também se beneficie da nossa existência. E receberemos em troca o eco do que emanarmos. Felicidade é só uma palavra se você não tiver gratidão pelas conquistas que já teve e pelas que ainda poderá obter. E o amor só se tornará uma experiência se você permitir que ele te envolva, sem armaduras. Confie na vida e siga em frente. O mal só existe quando damos poder a ele. E somos do tamanho que queremos ser.

Paz

Marla de Queiroz

Quando me decepciono com alguém, provavelmente me coloquei em segundo plano. Se estou segura de que não tenho o controle sobre o Outro, seu comportamento pode ser frustrante, mas jamais será algo que me tire a capacidade de aceitá-lo mesmo não compreendendo-o. Sou injusta quando pretendo que alguém me surpreenda positivamente sempre: difícil demais termos para dar o que esperam de nós. Pois nós mesmos nos prometemos coisas que não conseguimos cumprir e também nos maltratamos, nos enganamos, nos boicotamos. Por medo de sofrer, vivemos o inferno interior que tememos. Por medo de estar livre, nos aprisionamos ao fantasma da ilusão. Por isso, cuido para arejar meu coração e não intoxicá-lo com o veneno do rancor, medo, insegurança. Meus olhos estão voltados para a luz. Meu corpo recebe amorosamente o que é saudável. Minha sede é de vida. E minhas semanas pretendem sempre a paz.

 

Gratidão

Marla de Queiroz

É que hoje eu acordei muito feliz. Feliz como tenho acordado durante tantos e tantos dias. Apesar de tudo. Apesar de tanto. Hoje estou milionária. Eu tenho um céu azul e infinitos e tenros raios de sol preenchendo todos os pontos cardeais da minha imaginação.Sinto tudo tão meu porque me sinto tão pertencente a tudo. Eu que sempre quis um lugar para ir, um lugar de repouso e harmonia. Eu que sempre quis, quando encontrasse este lugar, poder ficar lá pelo tempo que fosse preciso. E agora posso, basta eu saber olhar. E a minha imaginação é tão fértil, solo que nasceu arado, jamais será novamente devastada pelo cultivo da tristeza. Porque eu descobri toda a acepção da palavra gratidão e, desde então, me tornei merecedora.

Amar

Marla de Queiroz

Ame o que dói em você, pois o que é qualidade já possui o olhar cuidadoso do reconhecimento. Ame o que te limita, pois o que te impede de avançar está te impulsionando quando vira desconforto. Ame, sobretudo, aquilo que você tenta esconder por não ser a sua parte mais bonita: isto faz de você real e te aproxima de sua totalidade. Ame o que é defeito, o que se rejeita, o que é criticado: amar o que é destituído de admiração é a parte que mais precisa de você.

Ser humano

Marla de Queiroz

Trabalhar a minha espiritualidade ou exercitar diariamente o meu melhoramento como pessoa, não faz de mim uma pessoa meiga, doce, fofa. Nem me obriga a isto. Faz de mim mais compreensiva, mais amorosa. Meu temperamento é intempestivo, meu posicionamento no mundo faz com que eu viva numa eterna autovigilância para não ser hostil. Eu me atiro, diariamente, de um pedestal imaginário que alguns me colocaram e isto é exaustivo. Sou um ser humano cheio de reformulações íntimas para fazer, de questões emocionais para resolver.
Não tenho vocação para recalques, não sinto inveja. Gosto de tudo o que sou e do que tenho. Não trocaria minha vida, meu corpo, meu estilo de escrita, minhas transgressões pelo "bom comportamento" de ninguém. Eu não trocaria nem os meus problemas se pudesse optar.

Luz completa

Marla de Queiroz

É estreita a saída de dentro. É confortável aninhar-se em nenhuma surpresa e dedicar-se a ficar embrenhado nos pensamentos mais amenos depois de ter olhado fundamente dentro do funcionamento de cada órgão vital. Tudo funcionava calmamente até o momento em que o coração começou a bombear mais forte E, voltando à superfície após algum transe silencioso, mas cheio de palavras, os olhos absurdados e os dedos ligeiros rasgavam as palavras sem se incomodar com o que elas pretendiam de mim: diziam, diziam enlouquecidas, numa manipulação doce e sutil. Fui instrumentada para elas.
Desenterrei você nas cartas não enviadas. Não sei ao certo se você pulou daquelas páginas: vivo, tão cheio de vigor e sensualidade como antes. Mas não estivemos juntos neste meu contato breve: fio condutor que me fez retornar a mim mesma, percebi: “desta forma eu não quero mais. Descanse em paz”. E atirei todas as falsas possibilidades pro Universo. Nunca uma despedida foi tão feliz.
Revisitei um lado meu que sempre foi bonito. Estava enterrado com você, qualidade minha projetada inteira no teu ser. Tomei de volta, virei as costas, segui em frente. Durante muito tempo eu pensava que a sombra que me acompanhava era a tua. Abracei-a, reconhecendo-me nela. Agora posso dizer que a minha luz está inteira.

Felicidade

Marla de Queiroz

Há exatos cinco minutos decidiu ser feliz. Não que já não fosse de alguma forma. Mas decidiu tomar consciência de que sua pressa não tinha sentido e que havia um condicionamento exaustivo para sentir-se sempre em falta. Decidiu ser feliz assim: se despedindo de alguns hábitos, pessoas, desocupando lugares que lhe davam a extrema sensação de estar na contramão da alegria. Sua infelicidade era composta por coisas simples, mas simbólicas: uma cama alheia convidativa, mas que esvaziava o seu espaço. Uma pessoa sedutora, mas que lhe roubava a individualidade e determinava seu estado de espírito. Sua consciência esclarecia a precisa carência em que vivia. A inanição de afetos: abandonou seu espaço de criação e o momento de solitute, os prediletos. Mas bateu um cansaço mental e físico tão absolutos que teve a sensação de que, se não decidisse ser feliz naqueles exatos cinco minutos, quando o seu corpo se sentisse realmente deitado e sua mente silenciasse, nunca mais sairia daquela posição, daquele estado. E era preciso continuar. Então, a felicidade começaria ali, com um simples repouso de tudo, de todos, de uma parcela de mundo. Naqueles exatos cinco minutos.

Passado

Marla de Queiroz

Hoje eu consigo olhar pro meu passado como uma espectadora e apontar cada detalhe e cada erro e acerto e cada instante e sensação e fuga. As projeções que fiz, as dependências que criei, as compulsões que tive, hoje são um presente de maturidade e otimismo porque comecei a atrair pessoas, histórias e assuntos mais leves, saudáveis. E criei pra mim uma rotina de paz, e deixei de admirar muita gente e a apreciar outras. E vivi muita solidão, muita solitude, muito aconchego também. Hoje sou tão grata por tudo que doeu, por tudo que sangrou, pelo sono perdido. Retomei o controle da minha vida e estou sendo amada de uma maneira que me deixa mais segura. Perdi meus medos, sobrou apenas a minha fobia de altura. E, por menos que eu tenha escrito, a poesia sempre esteve em mim. Brindo com vocês esta fase nova em que, finalmente, conheci a tranquilidade. Se eu tinha esquecido desta frase, hoje eu posso repetir com o coração cheio de certeza: TUDO VAI DAR CERTO SEMPRE, porque a vida se encarrega das coisas e ela nos compensa com ela mesma.

Ocupações

Marla de Queiroz

Quando as preocupações se tornam nossas ocupações, estamos investindo numa ilusão, não num fato. Se a leveza exige de nós qualquer esforço, ela se torna um peso, um fardo. Quando o dia é engolido por dificuldades o romantismo não deve ser obrigatório, mesmo que a poesia sugira mais lirismo. Cada dia só pode ser vivido com o estado de espírito que nos habita em determinado momento: abaixo a ditadura do eterno otimismo. Estejamos em paz também nos atos falhos e nas atitudes incontroláveis, isto só nos torna mais honestos. Os trechos mais sábios dos livros nem sempre nos são aplicáveis. Deixe o seu eu inferior se abater em paz, tudo é aprendizado. Um ser humano é feito de escolhas e tentativas, não só de acertos. A vida é composta por altos e baixos conforme seu ritmo e frequência. A transitoriedade é o que nos redime, salva e compensa.
Descansa, às vezes, do teu compromisso com a constância no idealismo.
Sê humano num mundo de máquinas e estatísticas. Você é muito mais que um CEP. Seu nome é seu mantra pessoal, não o seu CPF.

Emoções

Marla de Queiroz

Quando estamos num turbilhão emocional, as imagens turvas pedem anestesias e a gente acha que obtém algum controle sobre as coisas pensando que podemos deixar pra cuidar da nossa vida amanhã. Mas à medida que protelamos nossa transformação, à medida que adiamos nossa mudança, adiamos também uma forma nova de sentir outras alegrias. E fechamos os olhos pra quem está ao lado, ou banalizamos um possível encontro que poderia desencadear uma história mais bonita. Ter a felicidade como um propósito, é a coisa mais difícil que conheço. Estamos sempre fugindo de nós mesmos e nos julgamos espertos demais com a porção de pequenas mentiras que nos inventamos. Mas a angústia que vem disso não nos deixa esquecer que só estamos adiando um processo precioso e delicado demais já que podemos continuar nos anestesiando. É preciso estar pronto, mas estar pronto também é transitório. E é preciso lucidez e coragem pra enfrentar o nosso pior inimigo: nós mesmos. Admitir que estamos nos fazendo mal com alguns hábitos ou relacionamentos destrutivos é assustador. E muitas vezes a sensação de impotência é o que impera. Somos imediatistas demais e não queremos sentir dor. Camuflamos nossa infelicidade da forma mais adequada que podemos e passamos boa parte da vida sendo quem não somos. Por isso sempre aquela sensação de que alguma coisa está fora do lugar...